Alojamento

calendarerase
calendarerase
| Procurar |

Diretório de Empresas


Publicite Aqui

Visitas

HojeHoje321
Esta SemanaEsta Semana1500
Este MêsEste Mês5103
TOTALTOTAL582709
Statistik created: 2017-12-14T19:34:40+00:00
Couto de Esteves - Lendas

A freguesia de Couto de Esteves é rica em histórias antigas e lendas, que alimentam o imaginário do povo e que vão sendo transmitidas de geração em geração.



Lenda da Pedra Moura PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

No tempo em que os mouros dominavam esta região, uma moura grande e arrogante, enquanto dava os seus passeios, levava o filho ao colo e uma roca para fiar. Certo dia, sentou-se na borda do caminho para amamentar o filho e apareceram-lhe inimigos em grande número. Para se salvar, transformou-se numa pedra moura. Ainda hoje os habitantes do Coval e da Cerqueira, em certas noites de lua cheia, ouvem os gemidos da moura.

 

Share
 
Lenda do Preto da Casa da Fonte PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

Conta a lenda que há muitos anos viveu na Casa da Fonte, no Couto de Baixo, um preto que era empregado. A única coisa que o assustava era o vento. Quando estava vento, o patrão podia mandá-lo trabalhar que ele não ia. No quintal havia uma figueira que era baixa, e por essa razão apareciam os figos comidos. A dada altura, o patrão mandou o preto guardar a figueira de noite. Nessa noite, ele viu que quem comia os figos era um lobo. Mais tarde, apareceu em casa com o lobo preso pela língua.


Tempos mais tarde, as pessoas da Casa da Fonte foram trabalhar para uns terrenos perto do poço do Pego Negro, que fica junto ao rio Lordelo. Enquanto trabalhavam, caiu uma alavanca ao poço e ninguém a quis ir buscar pois o poço era fundo e tinha má fama. O preto disse que a ia buscar. Feito isto, prendeu uma corda à cinta e desceu, dizendo aos outros trabalhadores para ficarem a segurar na ponta da corda e que quando encontrasse a alavanca dava um esticão na corda para eles o puxarem para cima. Quando ele deu o esticão as pessoas não estavam prevenidas e deixaram a corda ir ao fundo. Entretanto chegou a noite e os trabalhadores foram para casa deixando lá o pobre coitado no fundo do poço. Com a noite veio o luar e o preto ao ver a luz da lua reflectida no fundo do poço conseguiu subir. De manhã, os trabalhadores regressaram ao poço com o objectivo de verem o preto, mas para grande surpresa, ele já vinha a chegar ao lugar com uma grade de ouro às costas e a alavanca na mão. Ao vê-lo, perguntaram-lhe o que era aquilo e ele apenas respondeu: «Esta já cá está com Deus» - e ao pronunciar estas palavras, o preto e a grade de ouro recuaram novamente para o fundo do poço.


Segundo a lenda, a grade de ouro ainda faz no fundo do poço, grade essa que foi lançada pelos Mouros (que não eram Cristãos). Por esta razão é que o preto e a grade de ouro foram novamente para o fundo do poço quando este pronunciou a palavra «Deus».

Share
 


Font changer Font changer Font changer
Portuguese English French German Spanish

Atualidade

Publicite Aqui

Webfeel